Casa de ferreiro, espeto de pau.

A revista ARCDesign, n. 60, traz uma matéria muito interessante sobre os escritório atuais e do futuro, lançamentos da indústria moveleira de design para a área e desenvolvimento de novas tecnologias do setor. Curiosamente, um dos maus exemplos é a nova sede do New York Times, projeto do aclamado arquiteto da “linha silenciosa” Renzo Piano, que recentemente ganhou a Medalha de Ouro da AIA – American Institute of Architects.
A opinião é do sociólogo italiano Domenico de Masi, que no Fórum Design Designers, realizado durante o Salão de Escritórios 2008, em Milão, participou de uma mesa redonda “Escritórios e espaços de trabalho para trabalhadores do conhecimento”.
Segundo ele as mudanças para os ambientes de trabalho são mais teoria e conceito do que efetivamente praticadas pelas corporações e industrias. As atuais instalações do citado jornal, novo marco da cidade, possui 52 andares de vidro transparente, distribuídos num projeto arquitetônico maravilhoso. No entanto, nele trabalham 3.500 funcionários. Somando as áreas de trabalhos apenas nos andares dedicados à redação foram utilizados 80 mil metros quadrados de madeira na cor natural! Conseguiu-se ainda que todos os tampos tivessem a mesma coloração e veios (além de uma concorrência acirrada entre grandes fornecedores como a Vitra e a Knoll).
Diante disso, questiona: estaríamos criando espaços para trabalhadores do conhecimento ou uma linha de montagem industrial, remetendo aos intermináveis e monótonos escritórios e fábricas do século passado? “O projeto de um escritório de bens imateriais ainda é pensado como se o trabalho fosse tudo na vida, e hoje se sabe que não é”.
De acordo com De mais são três os tipos de escritórios existentes hoje: o “escritório velho”, como o do NY Times, por ser destinado a um trabalho criativo pensado como tradicional; o “escritório estacionamento”, onde se trabalha em casa e busca-se idéias na rua (aliando trabalho e vida) e o “escritório comunitário”, com momentos de ócio ou lazer, que permite a dimensão do convívio. Percebe-se que na nova era em que estamos ainda se mantém o velho e tradicional pensamento.
A seção “Post Verde” deste blog pretende informar e reunir algumas ações, publicadas aqui, que levarão à construção de um mundo melhor e mais civilizado, com desenvolvimento e sem comprometer o futuro.